“És mulher, és casada, obrigada à obrigação”. Eu não:
Não vou lamentar nem vou cumprir uma predestinação.
Não vou. Não vou fazer amor se quiser fazer sexo
E não vou fazer sexo sem querer, sem prazer
Só porque tem que ser.
Não vou ter medo.

De ser sensual ou de amamentar o pecado original.
Não sou cuidadora, não sou pecadora, não quero mal.
Mas nem casadeira nem sextoy de cabeceira,
Prefiro ser primeira. Prefiro ser eu.

Não é Não e Sim é sem culpa, sem vergonha, sem pudor.
É sem aquela herança apodrecida de um útero inferior.

Que não é a minha

Que sou mulher, sou sexo e sou amor.