precoce-01

Este tema sopesa-me há uns tempos. Por que raio é que há homens que se preocupam obsessivamente com isto? É claro que eu sei a resposta à pergunta – há ansiedade de desempenho e monitorização excessiva que, associadas a experiências “desastrosas”, vão alimentando esta disfunção chata. É chata porque normalmente não é um problema orgânico, apesar de melhorar um pouco com alguma medicação (antidepressivos, vejam bem!), tem mesmo a ver com insegurança.

Mas querem saber a verdade? Não é nenhuma anormalidade ter uma ejaculação mais rápida de vez em quando. Entre adolescentes e jovens, normalíssimo, e, mesmo entre adultos pode aparecer sem aviso prévio. A psyche é tramada. Claro que com o envelhecimento as ejaculações tendem a retardar… O que é positivo para os mais rápidos e um pouco aborrecido para os outros. Contudo, podem sempre adequar as práticas sexuais. A satisfação sexual é um jogo contínuo de adaptação ao outro, às suas diferenças fisiológicas e anatómicas, às suas preferências e apetites, e, muito frequentemente, às alterações destas ao longo do tempo! “Adaptação” no sentido em que temos que gerir o repertório do outro, sem comprometer o nosso, mantendo sempre presente a noção de que neste jogo fazemos parte da mesma equipa.

Lembro-me de um tipo que a certa altura ejaculava sempre que lhe era verbalizado “Amo-te” durante o ato. É de salientar que isto não acontecia antes – salvo talvez no primeiro contacto sexual -, mas passou a acontecer, até voltar a extinguir-se (porque nunca foi uma grande preocupação para nenhum dos envolvidos). A verdade é que não vale a pena ficarem muito chateados por ejacularem depressa demais. Tenho tentado defender uma tese que implica que O SEXO NÃO ACABA QUANDO ELE SE VEM! A penetração nem sequer tem que ser o objetivo… Para muitas pessoas essa nem é a forma mais satisfatória de viver a sexualidade. Portanto, se ejaculam “depressa demais”, divirtam-se a fazer outras coisas. Esta genitalização do prazer dá-me cabo dos nervos.

Além de tudo isto, arrisco dizer que conheço poucos (ou nenhuns) homens ou rapazes que não tenham ejaculado depressa (ou até perdido a ereção) na ânsia de uma relação sexual muito desejada. Então se há afetos importantes envolvidos, esqueçam, é certinho. E querem saber uma coisa? Eu acho uma fofura. Penso sempre “devo ser mega gatinha para isto ter acontecido”. Case closed.

Esta página sobre ejaculação prematura é bastante boa (apesar de completamente heteronormativa, sorry). Cruzei-me com ela porque vi um anúncio quando estava a tentar pesquisar sobre futebolistas gay no Record ou na Bola. Não encontrei nada sobre o assunto, facto que me fez refletir em Se o Cristiano Ronaldo Fosse Gay?, portanto assumo esta improbabilidade estatística com humildade, mas ampliei o meu conhecimento ao nível de sites jeitosos sobre disfunções sexuais masculinas. Anúncios sobre medicamentos para as disfunções sexuais em sites de bola. Go heteronormatividade.