livro_2-01

Como a minha vida decorre algo desorganizada e não disponho de muito tempo para reflexões aprofundadas, resolvi apresentar factos sexuais avulso. A verdade é que basta abrir os olhos e os ouvidos – eles andem aí.

Para começar há posters espalhados um pouco por toda a cidade de um gato fedorento em pelota, versão Ken da Barbie. Onde, em circunstâncias normais, encontraríamos a genitália do Ricardo Araújo Pereira, verificamos, ao invés, que esta fora substituída por uma cueca “cor-de-pele” (expressão etnocêntrica passada à minha geração para designar a cor daquela caneta de feltro Molin que, em todo o caso, só se assemelha à tez das miúdas que se passeiam no 1º andar do Lux a partir das 4h da manhã). Também as pernas foram trocadas por uma versão mais higiénica, totalmente desprovida de pilosidades, como se vestidas de latex de super-herói se encontrassem. Transformaram o Ricardo num sex simbol de plástico photoshopado e ele é o mais atónito de todos nós. Quem é que dizia que a vida imita a arte? Pois, de tanto fazer comédia, acordou numa.

Reparei que um canal qualquer do cabo (ou fibra ou que raio está nas nossas redes nos dias que correm) está a repor o Sexo e a Cidade. Escolhi um episódio aleatório e fui abençoada com o rabiosque do Smith Jerrod (por falar em homens nus). Já muito se discorreu acerca do impacto da série. Há quem diga bem, a Pipoca Mais Doce diz mal (mas ela é um pouco crítica, não é?) mas uma coisa é certa: série alguma teve tal impacto. Se fizéssemos uma análise de conteúdo ao repertório verbal das mulheres desse mundo fora, certamente que as palavras clitóris, orgasmos e masturbação surgiriam com muito mais frequência depois da exposição aos alter-egos. Carrie, Samantha, Charlotte e Miranda puseram mais sexo na boca das mulheres do que qualquer sex simbol masculino. (Lamento Ricardo).

Por falar noutra coisa, já leram “O meu amante de domingo”, da Alexandra Lucas Coelho? Façam-no. Assim principia:

“O meu amante de domingo fez uma tatuagem na cadeia. É a cara de uma santa, no peito oposto ao do coração. Ele tem peitos duros, pontudos, ela está entre o mamilo e a axila, quando ele baixa os braços é como se a protegesse. A cadeia foi por abandono da Porta das Armas, o abandono da Porta das Armas por causa de uma mulher. Basicamente ele largou tudo para foder.”

E para o grand finale… Sabiam que os bares de strip-tease masculino em Londres têm um panic buton para o caso de algum grupo histérico de velhotas cockney saltar o bar e atacar um moço devido a uma implosão de hormonas sexuais?

E é tudo. Até #sexta-feira.